Cabine de desinfecção para combater Covid-19 é instalada no Complexo Penitenciário de Pedrinhas

Equipamento foi criado por pesquisadores da UEMA e dispara um jato que possui substância sanitizante sem deixar pessoas molhadas.

Equipamento criado na UEMA garante proteção contra coronavírus DIvulgaação Criada por pesquisadores do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) como o G1 trouxe no começo do mês, a cabine de desinfecção já está funcionando a ajudando o Maranhão no combate ao novo coronavírus.

O primeiro protótipo foi instalado no Complexo Penitenciário São Luís, em Pedrinhas. A cabine de desinfecção foi instalada logo na portaria unificada da penitenciária e higieniza qualquer pessoa que passar por ela.

Ao entrar, a pessoa faz um movimento de 360 graus, para que a substância possa alcançar o máximo possível de superfície corporal e, assim, potencializar a imunização.

O equipamento dispara um jato que possui substância sanitizante também criada pelos pesquisadores da UEMA.

A projeção feita por eles é que a estação tenha uma média de 80% de proteção, dependendo do local pulverizado e do tempo de exposição.

O produto é eficaz no combate a vários vírus e também bactérias.

A pessoa que usa a cabine sai com uma pequena película do sanitizante e não sai molhada.

A cabine é equipada com estrutura metálica e revestida com uma lona.

Dentro dela há um sistema de tubulação, por onde serão dispensados jatos pulverizados de solução química diluída. A estação de desinfecção precisa apenas de uma alimentação de 220V e seu reservatório garante uma autonomia de até 24h, sem reabastecimento.

A cabine de desinfecção foi desenvolvida pelo professor da UEMA e engenheiro mecânico, Kaio Nogueira, com parceria de professores do Departamento de Engenharia Mecânica (DEMECP) da UEMA e tem custo 70% menor que a média nacional.

Initial plugin text Entenda algumas das expressões mais usadas na pandemia do covid-19
Categoria:Maranhão